30 de abril de 2009

TESTEMUNHO NAS JORNADAS DA FAMÍLIA ANDALUZ

Quantas vezes estamos nós instalados na vida e sentimos que nos falta alguma coisa? Que nos falta um Alguém? Assim mesmo, com maiúscula. O Absoluto que na nossa inquietude procuramos muitas vezes e não encontramos… nem nos estudos, nem nas relações mais próximas que vamos cultivando…
E nós? Desejamos profundamente esse Encontro? Precisamos desse Encontro, tal como de ar para respirar? Talvez nem sempre…
E então, quando desejo mais tempo com Ele, quando em instantes de lucidez O desejo inteiramente na minha vida, sinto que uma Voz me fala pessoalmente, no íntimo do meu coração, chamando-me pelo meu nome, convidando-me a preparar o meu terreno para a sementeira. E o "bichinho" continua a martelar, a propor-me sair de mim própria, esvaziar-me para me voltar a encher, desta vez do que é essencial.

E Ele começa a pedir um pouco mais de mim… Mas, e se Ele se lembra de pedir tudo? Estamos nós dispostas a Confiar, e avançar? Cristo, o Cristo do sorriso, o Ressuscitado quer mais de mim, quer mais de ti, quer mais de cada um de nós!

O exemplo de Paulo garante-nos que uma verdadeira experiência de encontro com Cristo é uma experiência transformadora e revitalizante; abre-nos perspectivas novas de vida plena, de realização e de salvação e nos faz ver com olhos novos os projectos que Deus tem para nós! Atenção! Os encontros com Cristo na estrada da vida não são raros, nem estão reservados a pessoas especiais… Cristo passa continuamente ao nosso lado, interpela-nos, questiona-nos, desafia-nos, faz-nos cair das nossas certezas e instalações, convida-nos a olhar para além dos horizontes que nos limitam. Resta-nos estar atentos e disponíveis para O reconhecer, escutar e acolher as Suas novas propostas de vida.
Ele sabe que pode contar com aqueles que chama, ainda que tenha de lhes virar a vida do avesso! E chama-nos SEMPRE e a TODOS! Ele é tão original e criativo que tem um projecto de Amor diferente e único para cada um de nós! O que importa é escutá-lo; deixar que Ele nos vire a vida do avesso! Ele próprio concede a graça da abertura e colaboração para que o Seu projecto se torne uma realidade. Cabe-nos a nós perceber onde encaixamos. Cada um de nós tem um lugar exacto diante de Deus. Precisamos de ser aquilo que somos e não aquilo que o mundo nos atrai a ser, para que assim realizemos o propósito de Deus na nossa vida.
Que maravilha quando ocuparmos o lugar que Deus nos deu.
Temos medo de ser Felizes? Não? Então, porquê adiar a riqueza de um encontro profundo com Aquele que nos espera na estrada da vida?

“ Não somos o produto do acaso irracional e sem sentido da evolução. Cada um de nós é fruto de um pensamento de Deus. Cada um de nós é querido, cada um é amado, cada um é necessário”. ( Bento XVI)
Será que a forma de vida mais comum da nossa sociedade nos realiza?
“Senhor, Senhor que queres que eu faça?” Devemos perguntar-lhe isto com vontade de saber e aceitar a resposta! Se não formos surdos à Sua voz, abre-se um novo caminho... à espera que o percorramos! Para isso precisamos de fazer silêncio interior e exterior; o ruído impede-nos de perceber. Algumas vezes, no intervalo das aulas, nas horas de almoço ou ao final do dia, sinto necessidade de me encontrar mais a fundo com Ele, num silêncio interior e exterior… E vou à Igreja da Graça, a que fica mais próxima da minha escola… E reflicto várias vezes acerca das seguintes questões: “Porque caminho me leva Deus? Quais os acontecimentos mais importantes da minha vida? Como é que Deus esteve presente ou ausente neles? Que experimento ao pensar na possibilidade de consagrar a minha vida a Deus? Sei que tenho apenas uma vida. A que quero dedicá-la? A que sou chamada a dedicá-la?
É esta inquietação e atracção que nós temos que discernir com tranquilidade… Não podemos querer respostas fulminantes e por fax. Deus esconde-se um pouco quando nos chama, e faz isto porque quer deixar uma boa margem para a nossa liberdade. De outra forma, não seria uma história de amor, mas sim de escravidão.
E nós? Ousamos responder-Lhe confiantes de que seremos Felizes? Cada vez mais as pessoas têm medo de se comprometer… Têm medo de dizer um “SIM” que comprometa a sua vida. Peço ao Espírito Santo que me dê essa graça da resposta! Não enfrentar a decisão equivale a desperdiçar a minha vida. E eu quero ser FELIZ! É um erro achar que Deus nos pode propor algo que não nos faça felizes!
A decisão é um passo na fé, um acto de confiança em Cristo!

Deixemos antes, que Cristo nos surpreenda nos nossos caminhos e nos fale, ilumine, cegue, atire por terra… deixemo-nos encandear pela Sua luz e transformar pelo Seu Amor! Ser encontrado por Cristo e acolhê-Lo na Sua novidade implica não encerrar num cofre fechado o tesouro da Graça que recebemos, mas comunicá-lo com a vida de modo que a verdade libertadora de Cristo atinja e transforme outros. Porque nós somos responsáveis pelos que nos rodeiam, e podemos também a ajudá-los na descoberta de Cristo, e do Seu projecto de Amor. É vivendo em Comunhão que temos a missão de ser testemunha de Cristo, e do seu projecto no meio dos irmãos.

É preciso nadar contra a corrente num mundo tão provisório. Não façam escolhas pela metade, é preciso fazer escolhas definitivas. O mundo e a Igreja anseiam por pessoas que façam compromissos definitivos. O transitório é para pessoas que não encontraram o Cristo. Viver em Cristo! É esta a nossa opção?

A. R. L.

ECCLESIA!

Estavam todos muito bonitos na televisão...
Passou hoje no programa ECCLESIA! a reportagem dos
PASSOS PARA A COMUNHÃO.
Aguardem a grande reportagem da XIV Jornada da
Família Andaluz

25 de abril de 2009